Arquiteta propõe solução para a área do Aeroclube

Fomos surpreendidos com interessante matéria incluindo entrevista, com uma proposta que faz com que paremos para pensar sobre o que fazer com a área do Aeroclube, que de longe lembra aquele espaço cheio de movimentação com planadores e mesmo aeronaves dando vida ao local. A publicação é do Social Bauru.

Foto do Social BauruA matéria, com o título “Bauruense cria um novo parque em Bauru reutilizando o espaço do Aeroclube” é a mais consistente das apresentadas até hoje e tem tudo para fazer com que uma nova discussão sobre o tema seja proposto na cidade. De fato ela vem de encontro a especulações tanto da população como do próprio corpo associativo do Aeroclube, que há tempo deixou de dedicar ao mesmo a função original, que era de treinamento de pilotos de aeronaves, mecânicos e muitas outras ligados à aeronáutica

A rica matéria, com base em proposta da arquiteta Caroline Cataneli Melo, leva em conta um projeto de um parque no lugar do Aeroclube. Esta proposta faz parte de seu trabalho final de graduação e de fato caiu no agrado de quem conferiu a matéria publicada no conceituado site Social Bauru, que pode ser conferida clicando aqui.

A proposta caiu como uma bomba na cidade que começa a olhar para o local sem saber exatamente qual sua finalidade. De vez em quando confere-se um pouso e decolagem de aeronave, mas isso é privilégio de poucos.

Como foi criado o aeroporto internacional na vizinha cidade de Arealva, esperava-se que todo tráfego aéreo fosse para lá transferido e até parece que isso é conferido aos poucos.

Há forte corrente na cidade no sentido de se ocupar o local com obras como edifícios, mas de longe essa possibilidade cai bem nos ouvidos e na cabeça dos que imaginam uma Bauru melhor para todos.

O assunto irá render, ou já está rendendo, pois há várias correntes e o que de fato o bauruense saudável imagina, é um local próprio para caminhadas, contato com a natureza, pistas para corridas e tudo mais nesse sentido.

Quanto a matéria, ela é altamente elucidativa e soma quando o momento é de repensar a cidade.

Vale a pena conferir e, depois da leitura, formar sua opinião. Quem sabe não estejamos iniciando de fato uma discussão sobre a ocupação do local que sabidamente é de propriedade da prefeitura municipal.

No mais, os cumprimentos ao pessoal do Social Bauru pela interessante e elucidativa matéria.

(*) Por Renato Cardoso, que é jornalista, publicitário e bacharel em direito.