Rapidinhas daqui e dali

* A denúncia contra Temer foi arquivada, então agora é hora de governo e Congresso elegerem prioridades. Há o caminho da reforma da Previdência, necessária para o equilíbrio das contas públicas. E há o caminho da reforma política, importante em vários aspectos, mas com vários dispositivos que salvam os políticos sob investigação.

O editorial da Gazeta do Povo “Batalha de prioridades” trata desta dúvida cuja provável solução não é nada surpreendente.

A imaginação pródiga dos parlamentares vai muito além de soluções usadas com sucesso em democracias maduras; é preciso também resolver um problema mais imediato, que é o da perpetuação no poder de políticos investigados e denunciados por esquemas de corrupção.

Somente nesta semana, haverá três reuniões em comissão parlamentar para discutir a reforma política. A destravada agenda política ainda tem reforma da Previdência, anúncio da inflação de julho e a expectativa do centrão em receber na forma de ministérios o pagamento extra por votar pelo arquivamento da denúncia contra Temer.

Uma espiral perigosa em que o presidente se enfiou e abordamos no editorial “Temer e o preço das reformas”.

Se Temer permanecer nas mãos dos deputados fisiologistas, graças ao comportamento que ele mesmo incentivou, acabará gastando toda a tinta de sua caneta para garantir a sobrevivência até 2018, restando-lhe pouco ou quase nada para realizar as reformas que ainda estão por vir

* Farinha pouca…

Há outras frentes pressionando as contas públicas. O Ministério Público quer aumento de 16%. Mexida que, para existir, mexe nos salários dos três poderes. Uma conta de R$ 4,5 bilhões, calcula Flávia Pierry.

O descontrole das contas públicas é herança maldita dos governos petistas, irresponsavelmente “generosos” na distribuição de recursos. Em 13 anos no poder, o partido distribuiu quase R$ 1 trilhão em benefícios. E não, não foram os mais pobres os mais beneficiados.

* Divã diplomático

Fernando Martins traz à discussão o papel do Brasil no cenário político internacional. Depois de anos de pirotecnia ideológica, ficou claro que os governos daqui pouco fizeram em política externa além de defender os próprios interesses, não os do país.

A Venezuela é um caso próximo e vivo. O PT associou-se ao chavismo e Temer dedicou quase todo o tempo a legitimar e manter seu mandato.

Hoje, a ditadura socialista de Nicolás Maduro é a causa oficial para a Venezuela ter sido excluída do Mercosul. A OEA apoiou, por ver tambémruptura da ordem democrática no país.

O governo venezuelano segue vivendo seu universo paralelo. A assembleia constituinte teve a primeira reunião e destituiu a procuradora-geral Luisa Ortega, uma ex-chavista. Maduro garantiu que a Venezuela seguirá no Mercosul.

* Elogios valiosos

Sergio Moro teve sua atuação elogiada por frentes distintas.

Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, presidente do TRF-4, disse que a sentença que condenou o ex-presidente Lula é irrepreensível e entrará para a história do Brasil.

No sábado à noite, Moro e sua mulher, Rosângela, foram surpreendidos com um bilhete anônimo de empresários, no guardanapo de um restaurante de Curitiba, elogiando o juiz. O agrado foi parar no Facebook.

* Mudança na pauta

O topo do Judiciário começa a abrir espaço para pautas além da corrupção na política. Uma das primeiras discussões é sobre se religiosos podem cobrir a cabeça (com véu, por exemplo) ao tirar foto para documentos oficiais.

Também está na fila a ação que discute a descriminalização do aborto até o terceiro mês de gestação. Renan Barbosa encerra a série de reportagens sobre o tema apontando alternativas para mães que pensam em abortar darem à luz seus filhos. No fim da matéria tem o link para os cinco textos anteriores.

* Valeu o voto?

Catarina Scortecci fez um levantamento dos projetos de lei elaborados pelos deputados federais do Paraná na atual legislatura. Foram mais de 500 propostas – a maioria, de redução ou isenção fiscal. Apenas três percorreram a tramitação completa e viraram lei.

* Não se culpe

A dureza do noticiário tem criado um certo sentimento de culpa em quem dedica tempo a assuntos menos sérios. O dilema é nosso, da América de Trump e do mundo inteiro. Porém, não se sinta culpado. Escapar das notícias às vezes para dedicar tempo àquilo que nos dá prazer, esvazia a mente é saudável. Mais do que isso, é necessário para mudar a realidade.

* Será que chove?

Ao menos essa semana, não. A previsão do tempo para o Paraná é de manhãs geladas e temperatura amena ao longo do dia.

* Na primeira página

A dupla Atletiba entrou na metade de cima da classificação do Brasileirão.

O Furacão é o oitavo após derrotar o Palmeiras por 1 a 0, em São Paulo. Ganha moral para o duelo com o Santos, pela Libertadores.

O Coritiba fez 2 a 0 na Chapecoense. Foi a primeira vitória no Couto Pereira em dois meses e o primeiro gol de Alecsandro pelo clube, agora em nono na tabela. O Coxa ainda recebeu homenagem da torcida da Chape. Seria no Couto a final da Sul-Americana adiada pela tragédia aérea que matou elenco e diretoria do time catarinense.

Merece um brinde

Se você quer comemorar a boa fase da dupla Atletiba, pode escolher a La Champagneria, bar temático de champanhe em Curitiba. Haus mergulhou na decoração da casa. Então, bota a garrafa no gelo e comemora que a semana está só começando.

Acompanhe as notícias do dia em goo.gl/do2Mc5