O que você sabe sobre o incêndio no campo do Noroeste?

Nem só de glórias e vitórias é contada a história do Esporte Clube Noroeste. Pelo menos um fato ficou marcado pra sempre, que diz respeito ao incêndio que se alastrou por toda arquibancada do clube, que era de madeira, em razão de sua construção ter-se dado por conta da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, que na década de 1.930.

A Noroeste investiu em tudo que foi possível na cidade, visando dotá-la de tudo que precisassem os ferroviários que se aglomeravam no quadro funcional para o final de construção da estrada que chegou até a Bolívia.

A verdade quanto ao aporte da “Noroeste” está nas arquibancadas que constam da foto em destaque, de madeira (as mesmas usadas na fabricação de vagões para cargas e passageiros).

O incêndio

Foi num jogo contra o São Paulo Futebol Clube, que só tinha feras na escalação, como Poy, Mauro Ramos de Oliveira, Dino Sani e sei não se com De Sordi, Pé de Valsa, Bauer e Alfredo. Gino, Zizinho, Dino e Canhoteiro, quando o nossos torcedores do “Norusca” viveram o maior susto em campos de futebol.

Esse susto da história do Noroeste ocorreu no dia 23 de novembro de 1958.

O jogo ocorreu num domingo ensolarado e de repente uma multidão desceu das gerais e uma fumaceira atrás, quando eram jogados 25 minutos do primeiro tempo. Sim, tratava-se de um incêndio que havia começado nas gerais (foto acima).

12079306_1665648250384345_6330293943524039123_n (1)O antigo Estádio Alfredo de Castilho, do Noroeste era um dos poucos, entre os times da divisão principal em que as arquibancadas ainda eram de madeira.

O fogo estava se alastrando rapidamente e houve uma correria, quando os alambrados caíram com a pressão das pessoas que desciam das gerais fugindo do fogo.

12122398_1665649917050845_2909730902423236814_nMais um ângulo vendo-se o fogo tomando conta da arquibancada.

Uma grande parte dos torcedores invadiu o campo e cinco pessoas ficaram feridas. Foi quando ocorreu o maior susto da história do Noroeste ocorrido no dia 23 de novembro de 1958, no então Estádio Alfredo de Castilho, aos 25 minutos do primeiro tempo, tendo a geral em chamas. O incêndio consumiu as populares do estádio e causou pânico no público presente. O fogo ainda atingiu algumas casas, que ficavam nas proximidades. Cinco pessoas ficaram feridas.

alfredao 3Posteriormente, com o empenho dos ferroviários e da população de Bauru um novo o estádio foi construído no local hoje situado na Vila Falcão e inaugurado em 5 de junho de 1960, quando o Norusca voltou a mandar seus jogos em sua casa, novamente. No jogo houve vitória do alvi-rubro sobre o Palmeiras por 3 a 2. Só que o estádio agora tinha outro nome: Ubaldo de Medeiros

Quanto ao jogo, ele foi retomado em 9 de dezembro, no campo do Bauru Atlético Clube, e o resultado final foi 3 a 1 para o “Tricolor” paulista.

No local do estádio temos hoje a sede do SESI e a Bauru Tubos (rua José Aiello com Quintino Bocaiuva e Rubens Arruda).

O Estádio Alfredo de Castilho

O Estádio Dr. Alfredo de Castilho, ou vulgarmente conhecido como Alfredão, é o estádio onde o Esporte Clube Noroeste realiza hoje seus treinos e jogos, depois do episódio acima. Alfredo de Castilho foi diretor da E.F. Noroeste do Brasil entre maio de 1925, nomeado pelo presidente Artur Bernardes, de 1929 e de 1934 até março de 1937. Faleceu em 1947.

12186340_1670554383227065_5821527458745906033_oO estádio Alfredo de Castilho foi inaugurado em 1º de agosto de 1935, com um jogo entre o Norusca e o Campinas F.C., com placar final de derrota noroestina pela contagem mínima.

O novo estádio só voltaria a se chamar Alfredo de Castilho em 1964, com o Golpe Militar. Explica-se: Medeiros tinha sido partidário do governo João Goulart. Oficialmente, alegou-se que não se poderia dar nomes de pessoas vivas a obras públicas.

O Alfredão tem um dos melhores sistemas de absorção de água do país, assim nos dias mais chuvosos o gramado continua impecável para a prática esportiva. Após pinturas e reformas o Estádio Dr Alfredo de Castilho se mantém com uma infra-estrutura invejável.

O complexo esportivo “Dr. Alfredo de Castilho” está localizado em sede própria, numa área de 72.600m² que abriga, além do estádio com capacidade para 18.866 pessoas, espaço para concentração, campos de treinamentos, piscinas, restaurante, quadra poliesportiva coberta, ginásio (“Panela de Pressão”), secretarias, administração e loja oficial com produtos licenciados. As dimensões do gramado são de 105 x 70 m, e já teve capacidade de 18.840 pessoas anteriormente.

A maior lotação registrada no Alfredo de Castilho se deu numa partida entre Noroeste e Palmeiras, estimada em próximo a 30 mil torcedores (carece de maiores informações).

Saiba mais sobre o Esporte Clube Noroeste.

Ver mais pelo Vivendo Bauru.

(*) Por Renato Cardoso, que é publicitário, jornalista e bacharel em direito.

 

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.