O Hino de Bauru pode ser obrigatório nas escolas

Na Pauta desta segunda-feira, o projeto do vereador Serginho Brum que obriga a execução semanal do Hino Nacional e do Hino a Bauru nas escolas da rede municipal (Processo 151/17) não foi votado.

A vereadora Chiara Ranieri (DEM) apresentou Emenda para que a norma valha apenas nas unidades de ensino fundamental. Na apreciação em Plenário desta matéria pela Comissão de Justiça, Segalla, como membro do grupo parlamentar, solicitou prazo para emitir seu voto em relação ao Parecer pela Normal Tramitação do relator, Coronel Meira (PSB).
Antes disso, por 15 votos contrários e dois favoráveis (Chiara e Segalla), já havia sido rejeitada a solicitação de sobrestamento da votação por três semanas, requisitada pela autora da emenda.

Na Tribuna, Chiara recorreu à sua experiência na área pedagógica para problematizar a obrigatoriedade na execução do hino e hasteamento das bandeiras do Brasil e de Bauru por parte de crianças pequenas assistidas pelo ensino infantil.
Durante a discussão do projeto e nas explicações pessoas, requisitaram o uso da palavra para defender o mérito da proposta os vereadores Francisco Carlos de Goes – Carlão do Gás (PMDB), Ricardo Cabelo (PPS), Markinho Souza (PP), Fábio Manfrinato (PP), Natalino da Silva (PV) e o autor, Serginho Brum.

Segalla e Telma Gobbi (SD) também manifestaram apoio ao projeto, mas defenderam a necessidade de ampliar a discussão.
O presidente da Casa, vereador Sandro Bussola, de pronto, defendeu a aprovação do projeto, mas observou a importância de que o Poder Legislativo promova os debates e sugeriu que a Comissão de educação, presidida por Chiara Ranieri (DEM), convoque a secretária municipal Isabel Miziara e convide especialistas, para aprofundar as reflexões sobre o assunto.
Serginho Brum alega que sua iniciativa tem como propósito estimular o patriotismo e o espírito de ordem.

Mais pelo Vivendo Bauru.