O Esporte Clube Noroeste – mais de 100 anos de história

O Esporte Clube Noroeste é um mais que um clube centenário de futebol da cidade de Bauru, interior do estado de São Paulo. É uma paixão que toma conta de toda população e vem a ser motivo de orgulho e de constante alegria.

Fundado em 1º de Setembro de 1.910,  suas cores são vermelho e branco. Passa a disputar a Primeira Divisão (Série A-3), promovido em 25 de outubro de 2.015), do Campeonato Paulista de Futebol.

Historia da fundação

Fundado em 1º de Setembro de 1910, com o nome de Sport Club Noroeste, o alvirrubro de Bauru teve como primeiro presidente o engenheiro Carlos Gomes Nogueira.

Entre os primeiros sócio-beneméritos do clube estão figuras importantes de Bauru, como Alfredo de Castilho, Eduardo Vergueiro de Lorena (prefeito da cidade entre 1925-26 e 1929-25/10/30), Ernesto Monte (Prefeito de 1938-41), Otávio Pinheiro Brisolla (prefeito- 1918-21 e 1948-52), entre outros.

O primeiro confronto da história do Noroeste foi contra um selecionado da cidade de São Manoel, obtendo vitória por 1 a 0.

Primeira Conquista – Time campeão do Interior em 1943

O primeiro título estadual foi no Campeonato do Interior, em 1.943.

Na final, disputada em dois jogos contra o Guarani de Campinas, o Noroeste levou a melhor. As partidas foram disputadas no Estádio do Pacaembu e após vencer o primeiro jogo com um gol do ponta-esquerda Fontes e depois o “Norusca” segurando o 0 a 0 no segundo jogo, o que lhe bastaria.
Os heróis de 43 foram: Amélio, Xande e Irineu Pé de Boi; Balbino, Sérgio e Chocolate; Lamonica, Crisanto, Adolfrizis, Cirilo e Albércio ou Fontes.

Profissionalismo

O profissionalismo chegou em 1.948.
Em Março, Anísio, Xandu, Chocolate, Tuim, Ferreirinha e Julinho foram os primeiros alvirrubros incritos como jogadores profissionais. O “Norusca” passou então a ter dois times: um profissional, que disputaria o Campeonato Paulista, e outro para jogar o Amador de Bauru.

O primeiro campeonato da 2ª Divisão disputado pelo Noroeste foi no próprio ano de 1.948.

Após altos e baixos, o time terminou na terceira posição da “Série Branca” do Campeonato. O Linense foi o campeão, mas perdeu o acesso para o XV e Piracicaba, após um triangular, que contou ainda com a participação do Rio Pardo.

O primeiro título da 2ª Divisão veio em 1953. Após conquistar o título da Série Verde do Campeonato, o “Norusca”, em uma campanha heroica, conquistou o título da “Segundona”, passando por cima do América de Rio Preto, da Ferroviária de Araraquara, do Paulista de Jundiaí, do Marília e do Bragantino.

Foram oito vitórias em dez jogos, que renderam o primeiro acesso da história do Noroeste à divisão de elite do futebol paulista. O título foi assegurado com uma vitória por 2 a 0 sobre o Marília, no Alfredão.

Festa na cidade

O time de 1.953 era formado por Sidney, Osvaldo e Villa; Nelson Faria, Mingão e Amaro; Colombo, Zeola, Brotero, Ranulfo e Luiz Marini.

O técnico era José Pavesi, que faleceu pouco antes do último jogo do primeiro turno da fase decisiva, contra o Bragantino.

Foto ao lado, do elenco acima citado.

Incêndio no Alfredo de Castilho

O maior susto da história do Noroeste ocorreu no dia 23 de novembro de 1958.
A partida era contra o São Paulo de Poy, Mauro Ramos de Oliveira e Dino Sani, no Estádio Alfredo de Castilho. Aos 25 minutos do primeiro tempo, a geral estava em chamas. O incêndio consumiu as populares do “Alfredão” e causou pânico no público presente. O fogo ainda atingiu algumas casas, que ficavam nas proximidades. Cinco pessoas ficaram feridas.

30_x_40_0141-1                      Foto do estádio completamente em chamas e com cinco feridos

Quanto ao jogo, ele foi retomado em 9 de Dezembro, no estádio do Bauru Atlético Clube. Resultado: 3 a 1 para o tricolor paulista.

Saiba tudo a respeito em O incêndio no campo do Noroeste.

Um novo estádio

12186340_1670554383227065_5821527458745906033_oO estadio Dr. Alfredo de Castilho, ou vulgarmente conhecido como Alfredão, é onde o Esporte Clube Noroeste realiza hoje seus jogos, depois do episódio acima mencionado.

Alfredo de Castilho foi diretor da E.F. Noroeste do Brasil, nomeado pelo então presidente Artur Bernardes, de 1929 e de 1934 até março de 1937. Faleceu em 1.947.

O Norusca só pode mandar seus jogos em sua casa novamente no dia 5 de Julho de 1960. Vitória do alvirrubro sobre o Palmeiras por 3 a 2. Só que o estádio agora tinha outro nome: Ubaldo de Medeiros.

O novo estádio só voltaria a se chamar Alfredo de Castilho em 1.964, com o Golpe Militar. Explica-se: Medeiros tinha sido partidário do governo Joao Goulart. Oficialmente, alegou-se que não se poderia dar nomes de pessoas vivas a obras públicas.

O Alfredão tem um dos melhores sistemas de absorção de água do país. Assim, nos dias mais chuvosos, o gramado continua impecável para a prática esportiva. Após pinturas e reformas o Estádio Dr Alfredo de Castilho se mantém com uma infra-estrutura invejável.

O complexo esportivo “Dr. Alfredo de Castilho” está localizado em sede própria, numa área de 72.600m² que abriga, além do estádio com capacidade para 18.866 pessoas, espaço para concentração, campos de treinamentos, piscinas, restaurante, quadra poliesportiva coberta, ginásio (“Panela de Pressão”), secretarias, administração e loja oficial com produtos licenciados. As dimensões do gramado são de 105 x 70 m, e já teve capacidade de 18.840 pessoas anteriormente.

O Estadio Alfredo de Castilho foi inaugurado em com um jogo entre o Norusca e o Campinas F.C. O placar final foi a derrota noroestina pela contagem mínima.

Noroeste no Exterior

Em maio de 1964 o Norusca fez sua primeira vigem internacional. Uma excursão para um torneio em Cochabamba, na Bolívia. Vitórias sobre o Club George Wilstermann (2 a 1), Club Deportivo San José de Oruro (4 a 0) e Club Aurora, então campeão boliviano (4 a 0).
O interesse pelo futebol alvirrubro na Bolívia justifica-se pelo grande número de amistosos que o “Norusca” disputava na região da fronteira.

Rebaixamento e Acesso

A primeira queda do time veio em 1.966. Depois de uma fraca campanha, o time bauruense decidiu sua sorte em um jogo de desempate contra o Guarani, no Pacaembu. Resultado: 3 a 1 para o Bugre, debaixo de muita chuva.

O Noroeste voltaria à divisão principal do futebol paulista apenas em 1.970. Na fase final o alvirrubro passou pelo Bragantino (2 a 1) e Nacional.  Contra o time da Capital, após um empate em um gol no primeiro jogo, o “Norusca”, com um gol de Fedato, garantiu o acesso e o fim do drama da Segundona.

O próximo passo era encarar o Paulistinha, criado pela Federacão Paulista de Futebol, como uma seletiva para os times do interior. Os classificados teriam o direito de disputar a fase mais importante do Campeonato, o Paulistão.

Volta à Elite

O Noroeste só voltaria a enfrentar os grandes clubes do estado no ano de 74, após garantir a última vaga no Paulistinha de 73. O primeiro jogo do Paulistão de 1974 foi contra o Santos, na Vila Belmiro. 2 a 1 para o Peixe. No final do campeonato, um honroso décimo lugar.

Nas campanhas seguintes, o time alternou bons e maus resultados. Ao mesmo tempo, um garoto ia surgindo nas categorias de base do clube. Era Baroninho que, mais tarde, ganharia destaque no futebol nacional.

Em 78, o “Norusca” parte para a disputa do Campeonato Brasileiro, a primeira e única vez que o time disputa a Primeira Divisão.

jairzinhoA grande contratação para o campeonato, foi Jairzinho, o “Furacão de 70”. O Brasileirão daquele ano registrou a incrível marca de 74 clubes, divididos em seis grupos. O time se classifica na repescagem da primeira fase, mas é eliminado na segunda, por Grêmio e Palmeiras. No geral, a 28ª colocação.

Os bons tempos do Noroeste durariam até 1981, quando o time voltou a ser rebaixado para a Segundona. O time voltaria à elite paulista em 1984, mas voltou a cair em 1985, subindo novamente no ano seguinte. Nesse período o time bauruense ficou conhecido como “ioiô” (sobe e desce).

Em 1.990, na capital, o Noroeste conquistou o título, com um time-base que revelou vários atletas que hoje são conhecidos no cenário profissional, sendo o zagueiro Emersom (São Paulo) e Botafogo, entre outros, e o volante Claudecir (São Caetano e Palmeiras) dois dos mais conhecidos. O time-base era: Alexandre; Tato, Marcelo Bartho, Emerson e Japa; Marcelo Menegueti, Alexandro e Claudecir; Luiz Cláudio, Marinho e Tatu. O técnico era Zé Rubens

noroeste 1978O time foi se mantendo até 1993, quando foi novamente rebaixado, após uma derrota para o Mogi Mirim por 4 a 2, com direito a gol do meio do campo de Rivaldo. Em 1994 o clube disputou a recém-criada Série A-2, foi mal no Campeonato e acabou rebaixado para a Série A-3, que ocupou por apenas um ano, conquistando o título de 1995 e, conseqüentemente, a volta à A2 depois de boa campanha. Em 1999, entretanto, a equipe fez uma das piores campanhas de todos

De forma brilhante em 2005, após 12 anos nas fases intermediárias, volta a seu lugar de destaque, a Primeira Divisão do Campeonato Paulista de Futebol, o Paulistão, ícone do futebol mundial, assegurando também sua vaga no Brasileirão da série C. No mesmo ano, o time conquista o campeonato da Federação Paulista de Futebol.

2005 – conseguiu o acesso para a disputa da Série A1 (primeira divisão) do Campeonato Paulista e conquistou a Copa Federacão Paulista de Futebol.
2006, o Noroeste disputa o Campeonato Paulista da Série A1, fazendo uma campanha excelente, ficando em 4º lugar, com o técnico Paulo Comelli e o seguinte elenco titular-base: Mauro; Paulo Sérgio, Bonfim, Edmílson e Cláudio; Luciano Santos, Hernani, Lenílson e Luciano Bebê; Otacílio Neto (Leandrinho) e Rodrigo Tiuí.

Essa campanha (ficando atrás somente de Santos, São Paulo e Palmeiras) mostrou a força e ascensão do clube nessa nova era: a Era Damião Garcia. O troféu simbólico de campeão do interior trouxe de volta os olhos do futebol para a ”Maquininha Vermelha”.

Nesse mesmo semestre o Noroeste participou da Copa Brasil, desclassificado na primeira fase pelo Time de XVde Campo Bom/ RS. No segundo semestre de 2006 o Noroeste participou da série C do Campeonato brasileiro e foi eliminado na penúltima fase, ficando em 10º lugar no geral.

2007, o time mostra-se com a mesma base vitoriosa, surpreendendo de novo a todos e colocando o Noroeste entre os principais times do estado de São Paulo e a sensação do Interior Paulista, até considerado por muitos como o Trem Bala. Eis o elenco-base titular: Fabiano; Éder, Bonfim, Fábio, Neílton; Deda, Bruninho, Hernani, Luciano Bebê; Leandrinho e Vandinho, ficando em sétimo lugar no campeonato paulista, perdendo a final para o Guaratinguetá.

Participou da Copa do Brasil, onde foi eliminado pelo Figueirense na segunda fase. No segundo semestre participou da Série C de 2007, caindo já na primeira fase.

Em 2008, quase chegou às finais no Campeonato Paulista, porém foi novamente derrotado, dessa vez para o Barueri. Eis a base do time do Campeonato Paulista de 2008i: Fabiano; Edylton (Éder), Bonfim (Anderson) e Éder Monteiro; Leandro Soares (Marcelo Santos), Alexandre (Ralf), Júlio, Luciano Bebê e Edno; Vandinho (Otacílio Neto) e Leandrinho.

No segundo semestre, o Noroeste disputou a Série C de 2008 do Campeonato Brasileiro, sendo eliminado na 2ª fase. O treinador era Luiz Carlos Martins.

Em 2009 após péssima campanha, amargou a lanterna do Campeonato Paulista e foi rebaixado novamente para a segunda divisão. A equipe não conseguiu nenhuma vitória contra os grandes clubes do estado, e, nas derradeiras rodadas, não correspondeu às expectativas de reação, resultando no descenso do certame.

No segundo semestre disputou a Copa Paulista de Futebol, e depois de muitas contratações e dispensas equivocadas de jogadores e técnicos o time mais uma vez decepcionou e acabou eliminado logo na primeira fase da competição.

Como reflexo da desorganização e da falta de investimentos, o time acabou perdendo toda sua categoria de base e não disputou a Copa SP de Juniores em 2010. Só voltou a disputar a mesma em 2011. Após passar um mal momento o time conseguiu o acesso à Série A-1 do paulista e, em 2011, volta à elite do futebol paulista com o objetivo de permanecer para sempre.

Campeonatos estaduais

Campeonato Paulista do Interior: 1943 e 2006
Vice-Campeonato Paulista do Interior: 2 vezes — 2007 e 2008
Campeonato Paulista – Serie A-2: 3 vezes — 1953,1970 e 1974
Vice-Campeonato Paulista A2: 3 vezes — 1986,2005 e 2010
Campeonato Paulista – Serie A-3: 1995
Vice-Campeonato Paulista A-3: 2004
Copa Paulista: 2005.

Categorias de base

Copa Paulista: 2005.
Copa de Aspirantes: 1990

Ídolos

O Noroeste sempre revelou grandes jogadores para o futebol.

guerreirononoruscaToninho Guerreiro (foto) e Zé Carlos em 1960 despontaram para o reconhecimento nacional. Toninho Guerreiro fez carreira no Santos F.C. ao lado de Pelé e Pepe e companhia.

Em 78, o Norusca parte para a disputa do Campeonato Brasileiro, a primeira e única vez que o time disputa a Primeira Divisão.

A grande contratação para o campeonato, foi Jairzinho, o “Furacao de 1970” E como esquecer de Lorico (um dos melhores jogadores que o time já teve), Julião (goleiro), e tantos outros com Ticão, João Carlos e Baroninho, jogadores revelados pelo clube que fizeram história em grandes equipes do Brasil.

Algumas informações importantes da história do Esporte Clube Noroeste:

* Toninho Guerreiro: com 18 anos foi o artilheiro máximo do Noroeste na melhor fase do clube (1960);

* Zé Carlos: ao lado de Toninho Guerreiro fizeram grandes exibições pelo E.C. Noroeste ((1960);

* Jairzinho: o “ o Furacão ” da Copa 1970 já passou pelo E.C. Noroeste (1970);

“Mestre Lorico” um dos melhores jogadores que o E.C. Noroeste já teve (1972), abaixo em foto, tendo (da esquerda para a direita): Lorico – China – Luis Carlos – Araújo – Moacir e Maurício. Agachados: Marquinhos – Carlos Roberto – Rodrigues – Marco Aurélio – Moreira e Julinho. O técnico do time era Renganeschi e o supervisor o inesquecível “Bolão“.

1975lorico* Julião: o “gigante” defendeu o gol do E.C.Noroeste. Uma força física de “botar medo” em qualquer adversário. (1956);

* Ticão, João Carlos e Baroninho: produtos tipo exportação do Noroeste ( 1965);

noroeste 1961
* Entre outros nomes que fizeram história no clube e alguns que ainda estão em atividade, podemos citar: João Gualberto, Ranulfo, Zulu, Araujo, Navarro, João Marcos, Rodrigues Cavaco, Luizão, Tecão, Lela, Figueira, Natal, Careca, Nilson, China, Zé Rubens, Paulo Bim, Nivaldo, Tobias, Lourival, Varlei, Julinho,Virgílio, Gaspar, Geraldo, Bassu, Batista, Maneca, Fedato, Marco Antônio, Júlio Cesar, Washington, Rodinaldo, Jacenir, Gilberto Costa, Ronaldo Marques, Rogério, Catanoce, Cilinho, Chico Spina, Fonseca, Barbiroto, Vágner Mancini, Vitor-Hugo, Marco Aurélio, Vadinho, Edinho, Laércio, Osmair, Marcos César, Sílvio Luiz, Edinho, Eudes, Sebem, Maurício Cosin, Juliano, Ferreira, Jânio, Campanholo, Tequila, Vaguinho, João Fumaça (Fumacinha), Roger, Claudecir, Pedrinho,Bruno César, etc.

noroeste 63
Olha que “timaço” este!

arq_151636Temos, da esquerda para a direita, em pé: Tampa, Nascimento, Manduca, Foguinho, Edno e Marco Antônio. Agachados: Plínio, Marcos, Brandão, Márcio e Germano.

Mais fotos de times que defenderam a camisa vermelha e branca em Norusca, minha paixão!

Rivais

Os rivais tradicionais do Noroeste são o Marília Atlético Clube e o XV de Novembro de Jau. Atualmente a rivalidade Noroeste x Marília é a mais em alta. Porém, outros times da região que despontam e também já podem ser considerados rivais são o Oeste Futebol Clube e o Clube Atlético Linense.

Símbolos

dalhe

* Apelidos: Norusca, Maquininha Vermelha, Locomotiva, Trem-Bala
* Mascote: Uma Locomotiva vermelha (acima). A locomotiva carinhosamente conhecida por “Maquininha Vermelha” é uma homenagem à Rede Ferroviária Noroeste do Brasil (N.O.B.)
* Torcidas: Sangue Rubro, Brigada Alvirrubra.

Uniformes:
Uniforme 01: Camisa Vermelha, Short Branco e Meias Vermelhas;
Uniforme 02: Camisa Branca, Short Vermelho e Meias Brancas.

Escudo do Norusca


Hino do Esporte Clube Noroeste

Visite o site do clube em http://ecnoroeste.com.br/

Mais pelo Vivendo Bauru.

(*) Pesquisa e redação por Renato Cardoso, que é jornalista, publicitário e bacharel em direito.

One Comment

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.