Melhores cidades para idosos. Bauru é a 14ª colocada

Cidade de Santos no litoral paulista ficou em primeiro lugar na pesquisa do IBGE

A Fundação Getúlio Vargas aponta Bauru é 14ª melhor cidade para idosos, conforme pesquisa que buscou avaliar os melhores municípios para a terceira idade.

Cidade de Santos é destaque neste e em muitos outros aspectos, conforme levantamentos divulgados.Foram considerados sete critérios usados para avaliar as cidades: “indicadores gerais”, “cuidados de saúde”, “bem-estar”, “finanças”, “habitação”, “educação e trabalho” e “cultura”.

Entre os municípios paulistas, Bauru aparece na 8ª posição, atrás de Santos (1º), Rio Preto (5º), Ribeirão Preto (6º), Jundiaí (7º), Americana (8º), Campinas (10º) e Presidente Prudente (12º).

Pontos positivos apontados a Bauru foram: a reduzida taxa de alcoolismo e a baixa taxa de violência, colocando a cidade na terceira posição no item “Bem-estar”. Na avaliação em “Cuidados de saúde”, Bauru se destaca por possuir a maior quantidade de clínicas e residências geriátricas.

Conforme o relatório, Bauru precisa ser trabalhada a melhora na distribuição de renda e a expectativa de vida. Nesse indicador, Bauru possuiu seu pior desempenho, aparecendo na 32ª posição.

Santos foi eleita a melhor cidade em todo o Brasil, seguida por Florianópolis e Porto Alegre. Pesquisa aponta as melhores cidades do Brasil para se viver após os 60 anos.

A cidade de Santos, no litoral paulista, ficou em primeiro lugar na pesquisa do IBGE, em cujo estudo apontou que mais de 20 milhões de brasileiros que já chegaram à terceira idade (60 anos) têm se preocupado cada vez mais com a qualidade de vida e buscam por uma região com melhores condições para esta fase da vida. A pesquisa do IBGE realizada em quase 500 municípios mostra quais são as melhores cidades do país para viver depois dos 60 anos.

A cidade de Santos, no litoral paulista (cerca de 70 km da capital São Paulo), ficou em primeiro lugar entre os municípios com mais de 100 mil habitantes, seguida por Florianópolis em Santa Catarina e Porto Alegre no Rio Grande do Sul. O município de Santos tem atraído pessoas com mais de 60 anos pela praia e boa qualidade de vida.

Para fazer o ranking os pesquisadores do IBGE levaram em consideração não apenas as ações especificas para idosos de cada município, mas também a condição geral da cidade, em termos econômicos, sociais, culturais, a rede hospitalar, a educação. A ideia é que quanto melhor for a vida das crianças, dos jovens, do adulto jovem, melhor será o bem-estar dos idosos. Os pesquisadores também usaram mais de 60 indicadores de violência urbana ao número de pessoas que se casaram já maduras.

Em paralelo a pesquisa também foi percebido pelos pesquisadores a intenção de muitos idosos de mudar para uma cidade menor ou para perto do mar.

Veja a lista com mais de 100 mil habitantes que atendem os quesitos procurados por quem tem mais de 60 anos:

Cidades com mais de 100 mil habitantes

1ª posição – Santos – SP
2ª posição – Florianópolis – SC
3ª posição – Porto Alegre – RS
4ª posição – Niterói – RJ
5ª posição – São José do Rio Preto – SP
6ª posição – Ribeirão Preto – SP
7ª posição – Jundiaí – SP
8ª posição – Americana – SP
9ª posição – Vitória – ES
10ª posição – Campinas – SP

Veja lista completa.

Cidades com menos de 100 mil habitantes

1ª posição – São João da Boa Vista – SP
2ª posição – Vinhedo – SP
3ª posição – Lins – SP
4ª posição – Fernandópolis – SP
5ª posição – Tupã – SP
6ª posição – Votuporanga – SP
7ª posição – Lajeado – RS
8ª posição – Itapira – SP
9ª posição – Rio do Sul – SC
10ª posição – Bebedouro – SP

Veja lista completa.

Sobre o IDL

O Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade – Instituto de Longevidade Mongeral Aegon/FGV é resultado da parceria entre o Instituto de Longevidade Mongeral Aegon e a Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV/EAESP). Com este Índice, são reveladas as atuais condições de 498 cidades brasileiras, tendo em vista sua capacidade de atender às necessidades básicas de vida, destacadamente dos adultos mais idosos.

Motivação

A temática das cidades é de grande importância para o propósito do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon: facilitar a participação dos 50+ na sociedade. Se os adultos mais velhos são em número cada vez maior, e habitam principalmente as cidades, mapear e entender o que influencia seu bem-estar nesses espaços é fundamental. Este Índice colabora para a ampla disponibilidade de informações inteligíveis acerca da qualidade de vida dos 50+ nas cidades. Quanto maior for o bem-estar proporcionado, maiores serão as chances de participação.

Mais em Vivendo Bauru.