Grupo da 3ª Idade da UATI viaja para a Itália em intercâmbio

30 alunos da Universidade Aberta à Terceira Idade (Uati) da USC, estão embarcando para a cidade de Castelraimondo, na Itália, onde ficarão por 30 dias em forma de intercâmbio, com possibilidade de visitar outros locais daquele país. A foto acima é de uma parada em um posto da Rodovia Castelo Branco, no trajeto de ônibus até o aeroporto.

Na foto abaixo, vemos parte do grupo, alunos da UATI, com a Coordenadora Gislaine e a mentora do intercambio, Angela Zuntiniestando, tendo: Vania Moretto, Heloisa Bevilácqua, Marlene, Anésia Nunes, Rocia Bragaia, Irma Slaghenaufi, Ana Maria Ferreira, Rosana Negri, Marcia de Anna e Marilene Dominoni, Gislaine Aude, Paulo Degelo,  Lourdes Borges, Clarice Manji, Mariza Pereira , Maria José Dias, Ângela Zuntini, Conceição Souza, Conceição Galdino, Vilcineia Bianconcini, Maria Inês Piesker e Osni Segalla.

Foto do BlogUatiDurante o período terão a oportunidade para a prática da língua italiana, vivência cultural e passeios por pontos turísticos.

Os intercambistas ficarão hospedados na escola Campus Magnolie, onde poderão participar de aulas de estudo do idioma e cultura italiana. “Estou indo com meu irmão e a minha cunhada para esta viagem, que vejo como uma experiência nova. Falo para todos os meus familiares que agora estou fazendo um intercambio na terceira idade”, comenta, animada, Heloísa Maria Segalla Bevilácqua.

O grupo faz parte da atividade Cultura Italiana, ministrada dentro da Uati por Angela Zuntini. A professora, que já morou na Itália, agora oferece esta oportunidade para a terceira idade, e diz a respeito: “Fico feliz em poder realizar o sonho de tantas pessoas e de aprender sempre mais”.

A professora Gislaine Aude Fantini, coordenadora da Uati, acredita que o intercâmbio será uma inspiração para todos: “Também tenho certeza que o período será produtivo para eles, pois sempre é tempo de aprender”, comenta.

Sobre a UATI

A Universidade Aberta à Terceira Idade (UATI) da Universidade do Sagrado Coração (USC) tornou-se polo de reflexão sobre a questão do envelhecimento, abrindo oportunidades para aquelas pessoas que estão vivenciando esta fase e que desejam uma nova maneira de envelhecer. Através de suas atividades, a UATI, possibilita o aprimoramento, a aprendizagem e o desenvolvimento de novas habilidades.

Sua coordenação entende que o envelhecimento bem sucedido deve estar aliado a valores como a sociabilidade, liberdade, felicidade e capacidade de expressar-se.

A USC, em agosto de 1993, abriu suas portas para que as pessoas da terceira idade pudessem participar de atividades regulares através da Universidade Aberta à Terceira Idade.

Seus objetivos são:

  • Desenvolver ações que promovam a integração das pessoas da terceira idade com a comunidade universitária e com a sociedade em geral
  • Contribuir para a melhoria da qualidade de vida oferecendo–lhes oportunidade de atualização cultural e inserção social, como cidadão ativo na sociedade
  • Propiciar a aquisição de conhecimentos e habilidades, por meio de cursos, palestras, oficinas, cantos, encontros, dentre outros.

Nestes 24 anos, a UATI tornou-se polo de reflexão sobre a questão do envelhecimento, abrindo oportunidades para aquelas pessoas que estão vivenciando esta fase e que desejam uma nova maneira de envelhecer, buscando aperfeiçoamento e atualização de seus conhecimentos, superando rótulos, mitos e preconceitos. Com relação à contribuição para o corpo docente e discente, destacam-se inúmeros trabalhos e pesquisas que são desenvolvidos e divulgados na comunidade científica, além da contribuição pessoal dada a cada participante, que em seus relatos descrevem a inigualável experiência vivenciada junto a este grupo. A UATI/USC atende o que preconiza a Política Nacional do Idoso e o Estatuto do Idoso no que se refere à criação de programas e projetos que promovam a participação e a inclusão social desse grupo.

PÚBLICO

A UATI/USC é destinada as pessoas com 50 anos ou mais, de Bauru e região, que sejam alfabetizadas, tenham compreensão oral e escrita, e que estejam aptos às atividades desempenhadas.

Vídeo realizado para a comemoração dos 20 anos da UATI/USC

HISTÓRICO

Há sociedades que valorizam seus idosos, enquanto outras ameaçam sua existência. A faixa etária que mais cresce em termos proporcionais no Brasil é aquela acima de sessenta anos e isso faz do idoso “um novo ator social que necessita ser capaz de interagir produtivamente com a sociedade, definindo um novo mercado consumidor de produtos e serviços.” A oferta de reflexões sobre o processo de envelhecimento e opções para atividades adequadas aos idosos é um desafio e uma necessidade.

A USC, como em outros contextos históricos, configurou-se como pioneira no atendimento especializado às pessoas da Terceira Idade e hoje, a Universidade Aberta à Terceira Idade, nos seus 24 anos de existência consagra-se como um grande programa de Extensão, desenvolvendo estudos e pesquisas sobre teorias do envelhecimento e sobre práticas de atuação com idosos, contribuindo para o processo de construção de conhecimentos específicos, o aprimoramento da ação e a melhoria do padrão de atendimento à população idosa .

A UATI/USC também possibilita a convivência permanente de gerações, numa perspectiva de humanização crescente das relações interpessoais, oferece espaços para que o idoso exercite sua criatividade, desenvolva seus talentos, compartilhe experiências profissionais/vivenciais, reacendendo a vontade de viver, participar e assumir a sua presença no contexto familiar e da sociedade em geral, instrumentando-o para lutar contra qualquer tipo de discriminação, principalmente contra a auto-discriminação.

A programação da UATI tem caráter interdisciplinar, sendo dinâmica e participativa. O aluno pode participar como ouvinte de cursos da Graduação e especificamente em atividades elaboradas para a Terceira Idade, sendo estas ministradas por professores da USC, alunos estagiários assistidos por professores da IES e supervisionadas pela coordenação da UATI e voluntários da sociedade em geral.

A UATI / USC, como um programa de extensão da USC, vem desempenhando seu papel com um trabalho interdisciplinar de educação continuada e conseguiu, nestes 20 anos de existência, superar preconceitos, provocar rupturas na visão estereotipada que se tinha do idoso e promover, acompanhar e divulgar as mudanças do perfil do idoso, tornando-se pólo de reflexão sobre a questão do envelhecimento, abrindo oportunidades para aquelas pessoas que estão vivenciando esta fase e que desejam uma nova maneira de envelhecer.

Mais pelo Vivendo Bauru.