Fundação Regional da Saúde em Pauta

UPA de Pederneiras está sendo fechada. O que isso tem a ver com Bauru? Tudo, pois apenas Pederneiras se juntou a Bauru na criação da Fundação Regional da Saúde e com estrutura menor na vizinha cidade, maior é a procura por nossos equipamentos voltados à saúde pública.

Se nossos homens públicos não esticarem seus pescoços e mirarem a região, Bauru continuará no sufoco, mesmo “destravada”, pois os equipamentos são os mesmos e aqui é que temos os centros mais avançados na área médico-hospitalar.

O vereador Sandro Bussola soltou o seguinte comunicado: ” É com muita tristeza e preocupação que recebemos hoje a notícia de que a UPA de Pederneiras está sendo fechada.
Não só por conta de eventuais prejuízos na assistência à população da nossa querida vizinha, mas também porque essa unidade era gerida por meio da Fundação Estatal Regional de Saúde, da qual Bauru também faz parte como município instituidor.
Vamos solicitar informações para saber se recursos deixaram de ser repassados à entidade. E mais do que isso: temos que dar início a mais um debate importante.”

E complementa o presidente da Câmara Municipal de Bauru: “Será que não é hora de repensar um modelo de fundação ou organização municipal – e não mais regional – para que a não recaiam sobre a responsabilidade a Prefeitura de Bauru eventuais dívidas referentes a serviços contratados por outros municípios e/ou outros passivos, inclusive de natureza trabalhista?

Essa discussão merece nossa atenção, até porque a gestão do Hospital de Base passa para a cidade no ano que vem e precisamos construir caminhos pra assumirmos essa tarefa com responsabilidade e com o mínimo risco.”

Nossa opinião

Desde quando foram iniciadas as discussões para a formação da Fundação Regional da Saúde alertei para esse risco, podendo ocorrer (e irá, com certeza), da mesma fundação ser a Cohab do futuro.

O que é bom para a cidade hoje não o será num futuro próximo ou mais distante e lá, dependendo da forma como conduzir os destinos da cidade.

Vereadores levaram meses discutindo o formato da Fundação Regional da Saúde que, conforme nominação, implica em vários municípios somando-se à proposta, visando mais contratação de médicos e serviços da medicina, burlando assim os limites que determina a lei de responsabilidade fiscal e mesmo LDO, com relação a cargos e salários.

Deu no que está dando e é questão de esperar pra ver, pois se não revertida a proposta, daqui alguns anos teremos mais uma dívida daquelas a nos preocupar.

Juízo tem quem dele faz bom uso e, ao que indica, não tem ocorrido assim com nossos vereadores e mesmo prefeito.

(*) Renato Cardoso, o autor, é jornalista.

Mais pelo Vivendo Bauru.