IDH de Bauru: compare com o mundo

Veja em que posição está seu município (clique aqui).

O mapa é levado em conta pela Organizações das Nações Unidas para avaliar a condição de cada país, cada estado, cada cidade, e deixa colorida sua abrangência, em acordo com sua situação, levando em conta o IDH, ou seja, o Índice de Desenvolvimento Humano, que é calculado com base na longevidade de seu povo, emprego à população com consequente renda, saúde e educação.

O critério é simples e está na legenda abaixo a explicação, olhando para um gráfico que mostra países do mundo todo:13654321_1198856230145577_466613122006236540_nO verde mais escuro mostra os locais do mundo onde o IDH fica acima de 0,800 e chegando a 1,000, que é a faixa máxima. Olha o que temos aí: os Estados Unidos, a Austrália e pasmem, parte da América do Sul, que dá frente ao Oceano Pacífico, o que equivale dizer que, embora os desmandos, o povo continua a ter à sua disposição um bom sistema voltado à saúde, boas escolas, há empregos, há renda.

Verde escuro equüivale a um IDH muito bom, enquanto o verde mais claro sinaliza para um IDH BOM e com tudo a subir de escala e chegar ao patamar mais alto, com índices de 0,800 a 1,000. Só depende de administrações com foco no que está apontado.

Olhe o detalhe, pois quase todo o Brasil se situa na faixa de BOM, com apenas duas regiões na faixa de médias. Não temos o vermelho pintado em nosso mapa, embora tenhamos estados ao norte de Minas Gerais plenamente vermelhos sob o ponto de vista político.

Infelizmente vemos a pobreza residindo na África, em sua maioria, e apenas uma condição de médio mais ao sul daquele continente.

Pesquisa mostra o IDH-M levantado por município do país pelo Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013 divulgado pelo PNUD, considerando indicadores de longevidade (saúde), renda e educação

A pesquisa foi elaborada a partir do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013 divulgado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA e Fundação João Pinheiro – FJP, com dados extraídos dos Censos Demográficos de 1991, 2000 e 2010.

O IDH Municipal varia de 0 a 1 considerando indicadores de longevidade (saúde), renda e educação. Quanto mais próximo de 0, pior é o desenvolvimento humano do município. Quanto mais próximo de 1, mais alto é o desenvolvimento do município.

IDHM Bauru

Bauru apresenta os seguintes índices e os critérios são os mesmos: quando mais próximo de 1,000 tanto melhor e quanto mais distante, tanto a melhorar: Vamos lá:Bauru vem num crescendo quanto aos índices, a partir de 1.991 quando o critério passou a ser adotado e lá apresentava um IDH de 0,607, indo para 0,736 em 2.0010 e chegando a 0,801 em 2.010, passando a participar grupo de municípios brasileiros que se situam na categoria MUITO BOM, saindo então da condição de BOM.

    • No item renda, Bauru bate na trave ao apresentar o índice de 0,800. Fica óbvio que não devemos nos acomodar e quanto mais próximo de 1,000 tanto melhor, lembremos e nessa faixa, o melhor de posição se torna bem mais difícil.
    • No aspecto longevidade, velhinhos da terceira idade, não se desesperem, porque o índice de Bauru, comparado ao resto do mundo, de certa forma é bom, muito bom, chegando a 0854, mas fica a pergunta: você está satisfeito com a qualidade de vida na cidade do Pelé?
    • Quando olhamos para o índice educação, voltamos no tempo e nos posicionamos em condição de apenas BOM, pois temos aí 0,752, o que é uma lástima, considerando os R$ 300 milhões de investimento na área/ano, contra menos de 26 mil alunos da rede municipal, que dá um índice 0.10, contra 0.78 da média do estado. Dinheiro mal aplicado?
    • Quando olhamos aos números que buscam mostrar a condição em que se encontra a área da saúde, nos assustamos, pois chega ele a 0,685 e passa para a história como o setor não resolvido pelo prefeito Rodrigo Agostinho, secretário Fernando Monti e mesmo os vereadores que chegaram até a criar uma fundação para encontrar a fórmula mágica.
      Muito há que ser feito para que nossa Bauru possa proporcionar uma boa qualidade de vida aos cidadãos e o que temos aí, é o retrato de uma situação plantada ao longo dos anos, com os mesmos políticos em poder e mais resolvendo suas vidas do que da cidade como um todo, dos cidadãos que pagam seus impostos. Por aí vemos que Bauru está uma lástima e estamos abertos a uma discussão a respeito.Leia também: IDH de Bauru.(*) Renato Cardoso, o autor, é jornalista, publicitário e bacharel em direito.

botao-voltar

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.