Sanduíche bauru comemora 80 anos

Erramos quando informamos que o sanduíche bauru completa 95 anos. Reproduzimos a seguir um documentário produzido para a disciplina de Telejornalismo II do curso de Jornalismo da Unesp/Bauru, sob orientação do Prof. Dr. Denis Porto Renó, com mais informações e chegamos a 1.937, data em que a delícia do sanduíche foi inventada. Há um equívoco na matéria que data-a de 1.983, quando na verdade o sanduíche foi sim inventado em 1.937. Casimiro Pinto Neto nasceu em Bauru, em 5 de abril de 1914 e faleceu em 2 de dezembro de 1983.

O bauru é um sanduíche brasileiro inventado por Casimiro Pinto Neto, apelidado em referência à sua cidade natal (Bauru), no restaurante Ponto Chic do Largo do Paysandu, em 1937. O sanduíche logo se tornou popular e foi batizado com a alcunha de seu criador.

Diversas famosas personalidades muito conhecidas já apreciaram o sanduíche.

A receita original de Pinto Neto, oficializada pela lei municipal 4314, de 24 de junho de 1998, aprovada pela câmara dos vereadores de Bauru, consiste em um pão francês com rosbife, fatias de tomate, picles e uma mistura de queijos derretidos em banho-maria (prato, estepe, gouda e suíço), condimentado com sal[3]. Há, atualmente, variações da receita, que todavia não são tidas como o verdadeiro bauru. Dentre essas variações, destacam-se oito:

Bauru francês: pão francês com rosbife, queijo gruyère derretido e mostarda dijon.
Bauru italiano: pão francês com rosbife, queijo muçarela derretido, presunto de Parma, tomate seco e orégano.
Bauru americano: pão francês com rosbife, queijo muçarela derretido, alface americana, tomate e picles.

A receita original do sanduíche Bauru (rosbife, tomate, pepino e mistura de queijos).
Bauru português: pão francês com presunto, queijo e tomate.
Bauru gaúcho: pão francês com rosbife de picanha, queijo emmental derretido, almeirão e tomate.
Bauru Ponto Chic ou Legítimo: pão francês com rosbife de lagarto, queijos suiços, estepe e prato, derretidos em banho-maria, tomate, pepino, manteiga, sal e orégano.[2]
Hoje, há um programa de certificação para o bauru, disponível no sítio oficial[4], mas isto não significa que todo sanduíche conhecido como bauru siga a receita acima. Sendo um tipo de sanduíche extremamente popular no Brasil, o bauru possui inúmeras variações em ingredientes e métodos de preparo.

Voltaremos ao assunto com informações inéditas, com mais três restaurantes da cidade prontos para inserir a delícia em seu cardápio.

A importância do sanduíche Bauru para o município vem por meio da historia de seu criador, Casemiro Pinto Neto, nascido em Bauru (SP) em 5 de abril de 1914. Em 1931, ingressou na Faculdade de Direito da USP no Largo do São Francisco. Como ele e outros intelectuais da época freqüentavam o bar “Ponto Chic”, no largo do Paissandu, Casemiro (“Bauru”), o apelido que carinhosamente ganhou de seus amigos, sugeriu um tipo de sanduíche, que imediatamente recebeu o nome de seu criador: Sanduíche Bauru.

A difusão do sanduíche Bauru não se restringiu somente ao bar onde fora criado e nem tampouco à cidade de origem de seu criador. Em todo Brasil e até mesmo em outros países, o sanduíche Bauru, tornou-se popularizado pela receita composta com os ingredientes (presunto, queijo e tomate), também recebe inúmeras variações considerando as influências regionais e adaptações, ora acrescentando ou retirando alguns ingredientes, porém não deixando de levar o nome da cidade de Bauru a todas as lanchonetes e bares onde é confeccionado.

A preservação e valorização deste simples sanduíche, como patrimônio imaterial da cidade, que é lembrada como a cidade do sanduíche, é motivo de orgulho e estima aos bauruenses. O Sanduíche tem em sua receita original o pão francês sem miolo, fatias de roastbeef, queijo derretido, rodelas de tomate, pepino em conserva, orégano e sal a gosto.


No ano de 1931, Casimiro Pinto Neto, ingressou na Faculdade de Direito da USP no Largo do São Francisco. Orgulhoso de sua cidade natal, sempre foi conhecido pelos colegas como “Bauru”.

Juntamente com seus contemporâneos (estudantes, artistas e intelectuais), freqüentava o restaurante “Ponto Chic”, no Largo do Paissandu. Muitas são as histórias relacionadas ao Ponto Chic, passando por Madame Fifi com suas francesas nos altos do mesmo prédio, assembléias de estudantes da Faculdade São Francisco, MMDC e a revolução de 32, a invenção do sanduíche mais famoso do Brasil – O BAURU, as discussões políticas, o futebol, a Gazeta Esportiva, o basquete, negociação de craques, chegando a idéias, textos e composições inspiradas pelo ambiente. Até os dias de hoje o Ponto Chic mantém sua tradição de oferecer aos clientes, em sua forma original, o sanduíche mais famoso do Brasil – O “BAURU” (PONTO CHIC, 2006).
Numa noite, em 1934, procurou apressadamente, o cozinheiro do restaurante (Sr. Carlos), e “ditou” a receita do sanduíche: pão francês sem miolo, uma porção de queijo derretido em banho-maria, fatias de roastbeef, rodelas de tomate e pepino em conserva (picles).

Segundo Casimiro, essa receita incluía os elementos básicos de um lanche equilibrado em albumina, proteína e vitamina, conforme havia lido em um livreto de alimentação para crianças, da Secretaria de Educação e Saúde, escrito pelo Ex-prefeito Wladimir de Toledo Pisa, também freqüentador do Ponto Chic.

Quando estava comendo o segundo sanduíche “Quico” (Antônio Boccini Jr.), um amigo que era muito guloso, pegou de sua mão um pedaço do sanduíche e gostou. Aí, pediu ao garçom, um descendente russo chamado Alex, – Me vê um desses do “Bauru” -. Na mesma noite, outros freqüentadores pediram o novo sanduíche, dizendo que queriam um “igual ao do Bauru”. Nascia assim um dos mais famosos lanches do Brasil, hoje conhecido até em outros países.

Em Bauru o sanduíche foi divulgado por José Francisco Júnior (o Zé do Skinão) que conheceu Casimiro Pinto Neto em meados 1957. Transformou sua lanchonete (O Bar do Skinão) no principal ponto bauruense de divulgação do Sanduíche Bauru, o fazendo muitas vezes gratuitamente.

Atualmente o tradicional Sanduíche Bauru pode ser encontrado nos seguintes estabelecimentos: Skinão lanches (Rua Rio Branco esquina com Rua Júlio Maringoni); Bauru Chic (localizado próximo ao Bauru Shopping); Bar Aeroporto (no Aeroclube de Bauru); Buffet Mantovani (Av. Elias Miguel Maluf, 1-25), além do Bar e Restaurante Ponto Chic em São Paulo (Largo do Paissandú, 27). Em breve mais três pontos para saborear o sanduíche que leva o nome da cidade.

Saiba mais a respeito e com direito a dica de receita pelo filho do Zé do Skinão. Clique em O SABOR.

Veja como obter a Certificação do Sanduíche Bauru

O Conselho Municipal de Turismo de Bauru – COMTUR, realiza a outorga do selo de Certificação do Sanduíche Bauru, para os estabelecimentos que comercializam o Sanduíche Bauru tradicional.

O selo destina-se a salvaguardar a tradição, preservar a identidade e valorizar a iniciativa dos empresários do setor que buscam a qualidade na prestação de serviços e o comprometimento com a municipalidade.

A Certificação é conferida ao solicitante que em seu estabelecimento faz o uso da denominação do sanduíche considerando a receita e o modo de preparo tradicional. Recebem o certificado do COMTUR os estabelecimentos que assumem compromisso com os seguintes princípios:

Garantir a tradição da receita, aproximando-se no máximo possível à receita tradicional que foi objeto de pedido de registro no IPHAN como patrimônio imaterial
Contribuir com o Conselho, no que lhe for proposto, no sentido de resgatar o sanduíche como patrimônio imaterial
Garantir a qualidade do produto, tanto na questão dos ingredientes como na forma de atendimento aos clientes
Participar das atividades para divulgação do produto, incentivando seu consumo
Colaborar com o COMTUR na criação de um sistema que venha transformar o sanduíche em um produto do turismo no município
Estabelecer canais permanentes de comunicação com partes interessadas, para o sucesso das políticas de certificação

Para obter o certificado, o solicitante passa por uma etapa de cadastro e apresentação dos documentos do estabelecimento. Outra etapa é a análise da documentação, visita técnica para avaliação, aprovação e entrega da certificação, que é publicada no Diário Oficial do Município.

O COMTUR se responsabiliza pelo monitoramento e ações preventivas e corretivas junto aos estabelecimentos certificados. As visitas pela comissão de monitoramento ocorrem semestralmente e a renovação do cadastro é feita a cada dois anos.

Informações junto à Secretaria do Desenvolvimento Econômico de Bauru.

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.