Contação de História e Dança são os destaques da 17ª Feira do Livro Infantil nesta quinta

Nesta quinta-feira, 27/04, a 17ª Feira do Livro Infantil está repleta de contação de historias durante o dia e à noite muita dança para comemorar o Dia Internacional da Dança.

Quem comparecer à Feira, nesta quinta, ouvirá a contação da história “De todas as cores”, de Nye Ribeiro, contada por Denise Dioclides, da Divisão de Bibliotecas. Silvia Morbi, contando “Histórias Itinerantes” e a dupla Tatiana Sá e Vinícius Zurlo com a história “Dengue? Só em histórias”. E também poderá ver e comprar os livros expostos nos oito estandes de livrarias e distribuidoras.

E a partir das 20h, com a doação de um ou mais livros, em troca de dois ingressos, o público assistirá as coreografias de 18 grupos de dança, em homenagem ao Dia Internacional da Dança.

Eis a programação desta quinta-feira, 27/04:

27/04/17 – 5ª FEIRA

9h – Biblioteca – Contação de história – Denise Dioclides – “De todas as cores” de Nye Ribeiro

Juvenal cuida do seu jardim no maior capricho: planta flores em canteiros, separadas por espécies e cores. Um dia, vieram as borboletas, os passarinhos, as abelhas… E as flores? O que será que aconteceu com elas?

9h – Auditório – Contação de história – Silvia Morbi – “Histórias Itinerantes”

Histórias Itinerantes apresenta Contos Rítmicos: Estórias Infantis “Pedro e o Coelho”, “A beterraba” e “Conte outra vez”, indicados para crianças até 6 anos.

9h30 – Auditório – Contação de história – Tatiana Sá e Vinícius Zurlo– “Dengue? Só em histórias”

Dudu é um menino muito esperto que adorava soltar pipa e jogar bola depois que chegava da escola, mas o que gostava de fazer mesmo era comer. Porém, tudo o que ele não usava mais, jogava em qualquer lugar sem se preocupar para onde ia tanto lixo. Até aparecer a Rainha Egípcia que encontra ali um lugar perfeito para fazer suas maldades, enfeitiçando a todos com picadinhas que transmitem dengue. Junto com sua nova amiga borboleta, Dudu inicia a busca para acabar com o feitiço. Tudo vai depender de achar, em meio àquela sujeira toda, o livro do entendimento que ganhou na escola, o único que pode ajudar a desfazer o feitiço da picadinha dengosa da Rainha Egípcia.

14h – Biblioteca – Contação de história – Denise Dioclides – “Camilão, O Comilão” de Ana Maria Machado

Camilo é um simpático leitão, amigo de todo mundo, mas um grande comilão! Gosta de comer bem, mas nem tanto de trabalhar. Por isso tudo o que come, ele prefere ganhar. Preguiçoso, sem dúvida, mas tem um bom coração. É impossível não amar nosso amigo Camilão!

14h – Auditório – Contação de história – Silvia Morbi – “Histórias Itinerantes”

Histórias Itinerantes apresenta Contos de Grimm: “O Compromisso” sobre promessas não cumpridas, e “João Felizardo” sobre a importância e o significado de ganhar e perder , indicados para crianças e jovens de 7 a 14 anos.

14h30 – Auditório – Contação de história – Tatiana Sá e Vinícius Zurlo – “Dengue? Só em histórias”

Dudu é um menino muito esperto que adorava soltar pipa e jogar bola depois que chegava da escola, mas o que gostava de fazer mesmo era comer. Porém, tudo o que ele não usava mais, jogava em qualquer lugar sem se preocupar para onde ia tanto lixo. Até aparecer a Rainha Egípcia que encontra ali um lugar perfeito para fazer suas maldades, enfeitiçando a todos com picadinhas que transmitem dengue. Junto com sua nova amiga borboleta, Dudu inicia a busca para acabar com o feitiço. Tudo vai depender de achar, em meio àquela sujeira toda, o livro do entendimento que ganhou na escola, o único que pode ajudar a desfazer o feitiço da picadinha dengosa da Rainha Egípcia.

20h – Teatro – Mostra Comemorativa ao Dia Internacional da Dança

O Dia Internacional da Dança foi instituído pelo Comitê Internacional da Dança da Unesco em 1982. A data – 29 de abril – homenageia o nascimento do bailarino, professor e ensaísta francês Jean-Georges Noverre (1727 – 1810). Em Bauru, a data é celebrada há 5 anos, com a participação de grupos independentes e academias de dança da cidade, com a realização da Secretaria Municipal de Cultura e Associação de Dança de Bauru (ADAB).

Mais pelo Vivendo Bauru.