Vereador quer que prefeitura deixe gestão do Aeroclube

O vereador Meira (PSB) defende que Emdurb deixe gestão do Aeródromo de Bauru

Na última sessão da Câmara Municipal de Bauru, o vereador Meira fez pronunciamento indo na direção da Emdurb deixar de gerir o Aeroclube local. O assunto está rendendo e há divisão de opiniões, com bauruenses favoráveis e outros nem tanto. O que é preciso saber é se o número de funcionários da prefeitura lá acomodados é o solicitado pela direção do clube ou houve inchaço nesse número.

Foto de Alexandre Cruz NicolasO assunto precisa ser bem analisado e o prefeito tem que receber a direção do clube local, ouvir suas ponderações e decidir, considerando o serviço prestado na formação de profissionais ligados à aviação. Claro que deve considerar o quanto pagam esses alunos, se o que pagam é suficiente para cobrir custos e outros fatores mais relacionado às diversas receitas, como a locação do hangar e pista para pouso e decolagem de aeronaves particulares lá estacionadas.

Mas a decisão não deve ser tomada assim sem ponderações, análises, conhecimento profundo da realidade deste clube que foi orgulho para nossa cidade e tem tudo para voltar a se-lo. Fiquemos atentos, porque há evidentes sinais de especuladores que ficam de olho naquela área em região nobre da cidade, querendo transformar o local em prédios e de cimento a cidade já está saturada. Dia desses publicamos um estudo de uma arquiteta que propõe algo interessante, caso, ao final, a decisão seja para outro destino que não o atual (o que não concordamos).

O site Social Bauru saiu com interessante matéria com o título “6 motivos para o Aeroclube de Bauru não acabar” (clique para ter acesso) e elencamos aqui parte da publicação.

Nossa equipe listou mais seis motivos que fazem do local um dos mais importantes de nossa cidade. Confira:

1. O Aeroclube foi palco para importantes profissionais do país
A Escola de Aviação do Aeroclube de Bauru foi considerada celeiro de pilotos campões no voo a vela e já formou milhares de pilotos de destaque nacional. Dentre eles, é possível destacar o Cel. Ozires Silva – fundador da EMBRAER, ex-presidente da PETROBRAS, ex-ministro da Infraestrutura e ex-presidente da VARIG e o Maj. Marcos Pontes, o primeiro brasileiro selecionado para participar como astronauta de uma missão espacial da NASA (EUA). Ambos descobriram sua vocação no Aeroclube de Bauru, onde deram seus primeiros passos na aviação.

2. Em 32 anos de campeonato, os pilotos do aeroclube ficaram 28 vezes em primeiro lugar no Brasil
Em mais de 30 anos, os pilotos do aeroclube bauruense ficaram 28 vezes em primeiro lugar no ranking nacional, sendo conhecidos como “Os Imbatíveis”.

3. Possui a maior frota de planadores disponíveis em um clube nacional
O local é considerado um dos clubes com maior atividade aérea em todo Brasil. Ele possui a maior frota de planadores disponíveis em um clube nacional, além de diversas aeronaves a motor. São mais de 50.000 Km de navegações no ano em planador e cerca de 2500h de instrução de avião ao ano, sendo considerado um dos clubes com maior atividade aérea em todo o Brasil.

4. Aeroclube de Bauru ocupa o 1º lugar do ranking nacional do Voo a Vela, desde 1949
Segundo informações do site oficial do Aeroclube de Bauru, desde 1949, o local ocupa o primeiro lugar do ranking nacional do Voo a Vela.

5. Bauru, “a Capital Nacional do Voo a Vela”
A cidade de Bauru está localizada no centro do estado de São Paulo, em uma região relativamente plana e possui um clima quente e seco. Por isso, nossa cidade é considerada um lugar perfeito para a prática do voo a vela, sendo reconhecida, internacionalmente, como “A Capital Nacional do Voo a Vela”. Em Bauru, a prática surgiu com o imigrante alemão Hendrich Kurt, que veio ao Brasil fugindo do nazismo. Aliás, foi o alemão quem construiu os primeiros planadores na cidade de Bauru.

6. Os pilotos do Aeroclube de Bauru detêm 10 recordes nacionais de planadores
Como sempre participam de de provas e competições, os pilotos do Aeroclube de Bauru se destacam em todo o país. Dessa forma, o aeroclube ocupa o primeiro lugar do ranking nacional há anos.

Nosso comentário:

O que a cidade ressente é a falta de planadores no céu e a realização de campeonatos, deixando transparecer que a prioridade é a aviação civil e cumprimento do que determina a ANAC.
Nosso clube tem muito a ser revisto, a começar pelo nome (João Ribeiro de Barros), que nem bauruense é, por mais méritos tenha na aviação (é jauense).

Enquanto deixamos de lado o treinamento para novos pilotos de planadores e realização de provas que sempre foram atração turística na cidade, cidades como Barretos, Bebedouro e outras, assumem a condição de capital de voo a vela. A queixa se dá não pelo título, mas pela identidade do esporte com a cidade e os bauruenses há mais de 70 anos.

Há toda uma frota de planadores sem uso que pode muito bem ocupar um dos vários hangares e termos o Museu do Planador, ou algo assim, e ser uma atração turística a mais e com ingressos pagos para ajudar na coleta de valores a agregar na receita.

Vai a dica: que tal a realização de um campeonato para amainar os ânimos e ajudar na composição de autoridades com poderes para dar solução a um problema que não é grande, mas que incomoda muita gente?

(*) Renato Cardoso, o autor, é jornalista, publicitário e bacharel em direito.

Saiba tudo sobre o Aeroclube de Bauru, clicando aqui.