Bauru, que um dia foi a Capital Nacional do Voo a Vela

Historicamente, Bauru sempre foi considerada um centro de formação de pioneiros da aviação brasileira. O Aeroclube de Bauru sempre ocupou um lugar de relevante importância no processo da aviação nacional, devido a sua grande contribuição para o desenvolvimento dessa área.

Em posição geográfica privilegiada e contando com um histórico invejável, a cidade Sem Limites sempre foi um centro de excelência na modalidade voo a vela. Para os moradores de Bauru, como era bom, nas tardes de dias quentes, ver nos céus pequenos aparelhos sobrevoando suas casas. No entanto, nem todos os bauruenses sabem que aqueles engenhos voavam sob comando de campeões na modalidade.

O Voo a Vela é praticado em Bauru desde 1942, introduzido pelo imigrante alemão Hendrich Kurt.

Pacifista convicto, Kurt veio para o Brasil fugindo do nazismo e no início dos anos 40, esse engenheiro mecânico (que também era artista) se estabeleceu em Bauru, juntamente com o engenheiro e cunhado Hans Widmer. Foi Kurt quem construiu os primeiros planadores na cidade de Bauru, entre eles o curioso “Canguru”.

Em 1.940, o Aeroclube de Bauru formou sua primeira turma de pilotos de planador. Daí para frente, pelo pioneirismo da fabricação dos primeiros planadores, pela instituição de um curso regular para pilotos de voo a vela e principalmente graças as naturais ondas térmicas que se são abundantemente típicas na localidade, Bauru foi sendo cada vez mais procurada para a prática do esporte. Nos anos 70 o esporte se disseminou pelo país e a cidade de Bauru, em virtude da vantagem meteorológica e da grande frota de planadores do Aeroclube, passou a ser conhecida internacionalmente como “A Capital Nacional do Voo a Vela”.

Atraindo pilotos e apaixonados pelas alturas desde os anos 40, Bauru logo se tornou um celeiro de campeões de voo a vela. Com as incríveis condições meteorológicas da região, a possibilidade de voar no céu de Bauru era muito intensa e isso trouxe um diferencial competitivo para os pilotos que vinham brevetar-se ou praticar o volovelismo no Aeroclube de Bauru.

Essa intensa movimentação na cidade chamou a atenção da Associação Brasileira de Voo a Vela e Bauru passou a sediar os campeonatos a partir do ano de 1955, recebendo em suas dependências pilotos do Brasil inteiro que vieram competir no II Campeonato Nacional de Voo a Vela.

Nas décadas de 60 e 70, a cidade de Bauru passou a ser um point tradicional para a prática do esporte e muitos Campeonatos Nacionais foram realizados no aeroclube. Já apontada nessa época como um dos principais centros da modalidade do esporte Voo a Vela, a escola prosperou atraindo centenas de interessados em aprender o volovelismo.

Considerado um dos melhores centros de formação de pilotos de planador, o Aeroclube de Bauru se destacava por possuir a maior frota comunitária de um aeroclube brasileiro (ainda mantém) e também por ser um dos clubes com maior atividade aérea em todo Brasil.

Os pilotos do Aeroclube de Bauru detêm 10 recordes nacionais de planadores, em diferentes categorias. Sempre participando ativamente de provas e competições, os pilotos do Aeroclube de Bauru se destacaram, trazendo prêmios e troféus para a cidade. Com sua reputação de imbatível na prática do esporte, o aeroclube ocupava o primeiro lugar do ranking nacional por vários anos.

Kurt – O Eterno Paraninfo

O sensível músico e talentoso artesão, que também era mecânico de alta precisão, detestava a guerra e por um desses iluminados lapsos do destino, acabou se refugiando na sossegada capital da Terra Branca, no exato instante em que os entusiastas locais da aviação acabavam de inaugurar um Aeroclube na cidade. Aqui chegando, Kurt ficou entusiasmado com o clima altamente convidativo para a prática do voo a vela, uma modalidade de treinamento militar originária de seu país, a Alemanha.

A regularidade da topografia de Bauru e o clima, ensolarado e quente na maior parte do ano, encantaram o jovem apaixonado pela navegação aérea que em 1942 fincou residência em território bauruense, daqui não saindo nunca mais. Os profundos conhecimentos de Kurt na prática do voo sem motor sensibilizaram os fundadores do aeroclube que, na ocasião, estruturavam a escola de pilotos. O alemão, que foi personagem inesquecível de histórias curiosíssimas do Aeroclube de Bauru, chegou no mês de julho, tendo em sua bagagem as plantas de construção de um planador Zoegling e um passaporte suíço.

Apoiado pelos entusiastas locais, Kurt escreveu para o cunhado, o projetista suíço, Hans Widmer para que viesse a Bauru auxiliá-lo no projeto de fazer da cidade um pólo do Voo a Vela.

Juntos, Kurt e Widmer começaram a fabricar planadores. Inicialmente, os pequenos planadores eram rebocados por um automóvel, como verdadeiras pipas gigantes. Pouco tempo depois, os planadores de madeira e lona passaram a ser conduzidos aos céus por pequenos aviões monomotores, sendo soltos em voo livre a uma altura de cerca de 500 metros do solo.

Em 1942, Hendrich Kurt construiu nas oficinas do Aeroclube de Bauru o Zoegling, um planador de desenho alemão, batizado de “Arildo Soares” em homenagem a um entusiasta bauruense da aviação e tesoureiro do Aeroclube de Bauru na época. Idêntico em forma e dimensão ao modelo original, Kurt utilizou apenas material nacional na sua confecção. Esse planador tinha asa alta e não possuía cabine – o piloto ia ao ar livre – era rebocado por camioneta, decolava entre 50 e 60 km/h e conseguia atingir velocidades de 80 km/hora. Seu primeiro voo foi realizado em 5 de setembro de 1942.

O planador recebeu o apelido de “canguru” e fez uma carreira memorável nos céus de Bauru.

Com a fábrica montada nas oficinas do Aeroclube de Bauru, logo iniciou-se o aprendizado da modalidade. A primeira turma de alunos da Escola de Planadores, constituída de 48 pilotos, formou-se em 1942.

A novidade espalhou-se muito rapidamente pela América Latina e em 1945 um grupo de bolivianos da Escola de Aeronáutica de La Paz – Bolívia, veio a Bauru especialmente para realizar o famoso “Curso de Planador”.

Um ano antes, em 1944, foi construído no Aeroclube de Bauru, sob a orientação de Hendrich Kurt e Hans Widmer, o planador “Flamingo”.

O planador “Spalinger”, que é hoje ainda considerado uma obra de arte e uma raridade, ainda voa nos céus de Bauru e foi construído nas oficinas do Aeroclube de Bauru, no ano de 1953, de acordo com o projeto original de Jakob Spalinger, sob a orientação de Kurt.
Graças ao entusiasmo e a competência de Kurt e de seu cunhado Widmer, o Aeroclube de Bauru foi se consolidando, desde os anos 40, como um dos berços do planador no Brasil.

Para manter viva a memória do eterno paraninfo, o Aeroclube de Bauru realizava, anualmente, a Prova Kurt – uma competição de Voo a Vela que reúnia dezenas de competidores, todo início de temporada.

A Sala Kurt, é outra carinhosa reminiscência, que os diretores fazem questão de manter em pleno funcionamento dentro do movimentado hangar.

O Aeroclube de Bauru

O Aeroclube de Bauru foi fundado em 8 de abril de 1.939, formando sua primeira turma de aviadores em 21 de fevereiro de 1.940. Construído em estilo “art-déco”, o Aeroclube de Bauru foi projetado pelos mesmos engenheiros que, nos anos 30, conceberam a gloriosa estrada de ferro que fez da cidade de Bauru uma de suas principais estações e ponto estratégico no estado de São Paulo: a Noroeste do Brasil.

Inaugurado com grande expectativa por parte do povo brasileiro, foi um dos primeiros aeroclubes e aeroportos do interior do estado de São Paulo, mantendo hoje a importante marca de ser o aeroclube que está há mais tempo funcionando ininterruptamente.

Sociedade civil, com patrimônio e administração próprios, o aeroclube tem como principal missão o ensino e a prática da aviação civil, comercial, de turismo e desportiva.

A Escola de Aviação do Aeroclube de Bauru já formou milhares de pilotos de destaque nacional, além de ser reconhecida como celeiro de pilotos campeões de voo a vela. Celebridades como o Cel. Ozires Silva – fundador da EMBRAER, ex-presidente da Petrobras, ex-ministro da Infraestrutura e ex-presidente da VARIG e o Maj. Marcos Pontes, o primeiro brasileiro selecionado para participar como astronauta de uma missão espacial da NASA (EUA); descobriram sua vocação no Aeroclube de Bauru, local onde ambos deram seus primeiros passos na aviação.

Considerado um dos clubes com maior atividade aérea em todo Brasil, o Aeroclube de Bauru possui a maior frota de planadores disponíveis em um clube nacional, além de diversas aeronaves a motor. Com mais de 50.000 Km de navegações/ano, em planador; cerca de 2500h de instrução de avião ao ano e treinamento local; mais de 2.000 reboques anuais e, mais de 1.000 h/ano de instrução de avião, o Aeroclube de Bauru pode ser considerado um dos clubes com maior atividade aérea em todo o Brasil.

A cidade de Bauru está localizada no centro do estado de São Paulo, numa região relativamente plana e possui um clima quente e seco. Esta localização geográfica privilegiada faz de Bauru um lugar perfeito para a prática do voo a vela e por essa tradição, internacionalmente reconhecida, a cidade ganhou o slogan de “A Capital Nacional do Voo a Vela”, sendo palco histórico de grandes competições da categoria, além de ser o berço de formação de inúmeros campeões brasileiros do volovelismo.

Desde 1949, o Aeroclube de Bauru ocupava o primeiro lugar do ranking nacional do Voo a Vela (hoje não mais), sendo esta marca esportiva um orgulho e uma marca tradicional da cidade que já reconheceu, até mesmo através de lei, o “Dia Municipal do Volovelista”, data comemorada, em âmbito local quase no mesmo dia da fundação do Aeroclube de Bauru – 9 de abril.

Em 32 anos de campeonato, os pilotos do aeroclube ficaram 28 vezes em primeiro lugar no ranking nacional. Sempre muito festejada em todas as competições que participa, a equipe de pilotos do Aeroclube de Bauru é chamada de “Os Imbatíveis”, sendo considerada uma espécie de “dream team” entre os esportistas do Voo a Vela nacional. Essa honrosa reputação se deve ao grande número de conquistas em competições nacionais e internacionais que os competidores bauruenses trazem para o clube, sempre ampliando a galeria de medalhas e troféus.

Os maiores craques do volovelismo nacional saíram do Aeroclube de Bauru.

Veja: Voo a Vela em branco e preto.

Conheça a história do Aeroclube de Bauru em fotos.

Conheça a frota do Aeroclube de Bauru.

* Fonte: site do Aeroclube de Bauru.

Mais pelo Vivendo Bauru.