Bauru no circuito de turismo do Estado

CIRCUITO TURÍSTICO CAMINHOS DO CENTRO-OESTE PAULISTA. –

O Projeto

061Por iniciativa do Conselho de Desenvolvimento Econômico Regional (CODER), entidade criada dentro do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP) – regional Bauru, sendo parte de uma visão estratégica de desenvolvimento sustentável, o turismo começou a ser pensado como alternativa para o desenvolvimento regional, conforme política e visão estratégica da entidade.

Em junho de 2006, o CODER buscou a parceria com o SEBRAE (SP) para auxiliar na construção, estruturação e implementação de projetos.

Surgiu então, a proposta da construção de um projeto para o desenvolvimento do turismo por meio de um Circuito Turístico, denominado Caminhos do Centro Oeste Paulista. O dimensionamento técnico do SEBRAE (SP) identificou potencialidade turística em 10 dos 22 municípios que integram o CODER. São eles: Agudos, Arealva, Avaí, Bauru, Duartina, Iacanga, Lençóis Paulista, Macatuba, Pederneiras e Piratininga.

No final de 2007, o Instituto Soma passou a participar do projeto com a atribuição de coordenar e gerenciar as suas ações integradas, representar as prefeituras municipais participantes do programa no que tange ao turismo e articular as instituições parceiras desta iniciativa.

Para tanto, foram gerados nove Termos de Parceria dos dez inicialmente previstos. Os Termos de Parceria, bem como os Termos Aditivos que autorizam o repasse de recursos, legitimaram o auxílio por parte do Instituto Soma para as Prefeituras Municipais na implantação deste projeto.

Do mesmo modo, os Termos de Parceria também legitimam o Instituto Soma na identificação de demandas de infraestrutura urbana e de planejamento e na elaboração de projetos para áreas correlatas.

O Instituto Soma mantém Protocolo de Intenções com o SEBRAE (SP) e, atualmente, é a instituição operacional do CODER.

Objetivo

Contribuir com o desenvolvimento socioeconômico e cultural da região de forma sustentável, inserir a região no mercado regional, estadual e nacional de turismo, cultura e artesanato, consolidar roteiros turísticos, aumentar o fluxo de turistas e melhorar a qualidade de vida das pessoas nos municípios.

Público Alvo

Proprietários e/ou administradores de propriedades com recursos turísticos naturais e/ou culturais e/ou produtos turísticos atrativos
Proprietários e/ou administradores de empreendimentos em hospedagem
Proprietários e/ou administradores de empreendimentos em alimentação fora do lar
Proprietários e/ou administradores de empreendimentos em agenciamento turístico
Associações e/ou grupos de artesãos
Resultados Almejados

Aumentar em 20% o número de turistas e a permanência dos mesmos nas cidades participantes do projeto até julho de 2010.

Adesões

O projeto conta com 222 adesões, sendo oito grupos de artesãos com mais de 100 participantes. Foram realizados:

58 diagnósticos em meios de hospedagem e alimentação
139 diagnósticos em potenciais recursos atrativos nas áreas rurais e urbanas
104 diagnósticos da produção artesanal
Orientações técnicas para estruturação dos produtos atrativos
Elaboração e implantação do plano de atendimento aos meios de hospedagem e alimentação
Hoje existem 54 propriedades urbanas e rurais que se encontram nas fases de produto e estruturação para a transformação em produto turístico atrativo e conseqüentemente formatação de roteiros.