O Aeroclube de Bauru: toda uma história que deve ser levada em conta

Num momento em que só se fala quanto ao destino de nosso antigo clube de planadores, é bom saber um pouco de sua história, até para que valorizemos o que temos e façamos de tudo para resgatarmos o título bauruense de “cidade capital do voo a vela”.

O Aeroclube de Bauru foi fundado em 8 de abril de 1.939, formando sua primeira turma de aviadores em 21 de fevereiro de 1.940.Construído em estilo “art-déco”, o Aeroclube de Bauru foi projetado pelos mesmos engenheiros que, nos anos 30, conceberam a gloriosa estrada de ferro que fez da cidade de Bauru uma de suas principais estações e ponto estratégico no estado de São Paulo: a Noroeste do Brasil.

aeroclubeemconstrucao (3)

Inaugurado com grande expectativa por parte do povo brasileiro, foi um dos primeiros aeroclubes e aeroportos do interior do estado de São Paulo, mantendo hoje a importante marca de ser o aeroclube que está há mais tempo funcionando ininterruptamente. O esporte já não é tão praticado (raramente um planador sobrevoa o nosso céu)
Por anos funcionou como pista principal de pousos e decolagens de aviões de todos os portes, quer de carreira, quer de particulares, e isso concomitantemente com planadores, em fase de treinamento de pilotos e mesmo na busca de mais horas de vôos, assim como na instrução de pilotos e outros profissionais ligados à aviação. Conheça a história do Aeroclube de Bauru em fotos.

Olhando para sua arquitetura, em todos os detalhes percebe-se a concepção partida dos então diretores da extinta Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, com presença de muita madeira (a mesma usada na construção de vagões).

Sua construção se deu naqueles anos da década de 40 do século passado, em área distante da cidade, com casas construídas e ruas a servir e, para o acesso, foi necessária a construção de uma estrada, que pelos detalhes, imagina-se ser a origem da atual Alameda Otávio Pinheiro Brisola.

O avanço da cidade chegou até o local quando tudo estava pronto e com construções às suas margens, concluindo-se que tal avenida foi mantida, sendo hoje a imponente Alameda |Otavio Pinheiro Brisola, onde se situa a F.O.B. e dá acesso ao maior shopping da cidade. Conclui-se que, em razão das ruas em paralelo, tal avenida fora mantida conforme sua condição, não cumprindo o mesmo desenho urbanístico de Bauru. O mesmo se dá quanto a Avenida Nações Unidas, que tem sua história contada em outro capítulo do Vivendo Bauru.

aeroclubefestainauguracao (1)Na década de 1940, o local sediou a Festa de Inauguração da Sede Social do Aeroclube de Bauru, com presença de altas autoridades locais e mesmo nacionais e muitos ligados à aviação (foto acima).

Sociedade civil, com patrimônio e administração próprios, o Aeroclube tem como principal missão o ensino e a prática da aviação civil, comercial, de turismo e desportiva.

A Escola de Aviação do Aeroclube de Bauru já formou milhares de pilotos de destaque nacional, além de ser reconhecida como celeiro de pilotos campeões de voo a vela.

Celebridades como o Cel. Ozires Silva – fundador da EMBRAER, ex-presidente da PETROBRAS, ex-ministro da Infraestrutura e ex-presidente da VARIG e o Maj. Marcos Pontes, este o primeiro brasileiro selecionado a participar como astronauta de uma missão espacial da NASA (EUA); descobriram sua vocação no Aeroclube de Bauru, local onde ambos deram seus primeiros passos na aviação.

hqdefault-11Já foi considerado um dos clubes com maior atividade aérea em todo Brasil, possuindo, então, a maior frota de planadores disponíveis em um clube nacional, além de diversas aeronaves a motor.

Com mais de 50.000 Km de navegações/ano, em planador; cerca de 2500h de instrução de avião ao ano e treinamento local; mais de 2.000 reboques anuais e, mais de 1.000 h/ano de instrução de avião, o Aeroclube de Bauru sempre foi considerado um dos clubes com maior atividade aérea em todo o Brasil. Hoje o quadro é bem outro e bauruenses lamentam a saída de Bauru a prática em alta escala do voo à vela.

A cidade de Bauru está localizada no centro do estado de São Paulo, numa região relativamente plana e possui um clima quente e seco. Esta localização geográfica privilegiada faz de Bauru um lugar perfeito para a prática do voo a vela e, por essa tradição, internacionalmente reconhecida como a cidade que ganhou o slogan de “A Capital Nacional do Voo a Vela”, sendo palco histórico de grandes competições da categoria, além de ser o berço de formação de inúmeros campeões brasileiros do volovelismo.

O Aeroclube de Bauru sempre ocupou o primeiro lugar do ranking nacional do voo a vela, sendo esta marca esportiva um orgulho e uma marca tradicional da cidade, que já reconheceu, até mesmo através de lei, o “Dia Municipal do Volovelista”, data comemorada, em âmbito local quase no mesmo dia da fundação do Aeroclube de Bauru – 9 de abril. Mas hoje sua condição é bem diferente e cidades de pequeno porte passaram à frente e temos várias onde se vê a prática do esporte voltado à aviação em estágio muito mais à frente em quantidade e qualidade, a exemplo de Barretos e Bebedouro.

Por 32 anos de campeonato, os pilotos do aeroclube ficaram 28 vezes em primeiro lugar no ranking nacional. Sempre muito festejada em todas as competições que participou, a equipe de pilotos do Aeroclube de Bauru era chamada de “Os Imbatíveis”, sendo considerada uma espécie de “dream team” entre os esportistas do voo a vela nacional. Essa honrosa reputação se deveu ao grande número de conquistas em competições nacionais e internacionais que os bauruenses trouxeram para o clube, sempre ampliando a galeria de medalhas e troféus.

Os maiores craques do volovelismo nacional saíram do Aeroclube de Bauru.

Visite o site do Aeroclube de Bauru.

Assista a um vídeo que conta a história do Aeroclube de Bauru.


O vídeo é um mini-documentário dirigido por William Goricke, com roteiro e narração de João Maringoni sobre a inauguração e o funcionamento do Aeroclube de Bauru, em junho de 1945 (data mencionada, mas equivocada). Além de cenas da estação ferroviária e do centro da cidade, o filme mostra a escola de planadores dirigida por Heindrich Kurt, pioneiro do voo a vela no Brasil. No final, um episódio dramático: o acidente que vitimou o piloto Odilon Cerqueira Braga e seu assistente, Clóvis Barreto, um ano depois, durante um voo de dorso sobre a pista.

No vídeo a seguir, o apresentador de televisão Tuba Ferreira entrevista Mario Bevilaqua e apresenta filme histórico da inauguração do aeroporto de Bauru em 1945, quando acontece o acidente aéreo frente às câmeras.

Reproduzimos esta publicação com um único objetivo: conscientizar nossas autoridades e diretoria do Aeroclube para os planadores e apaixonados pelo esporte, que não são poucos, podendo fazer com que voltemos a ser a capital do voo a vela e termos de volta aquele céu diferenciado que sempre nos deu destaque.

O que se discute no momento é o custo da prefeitura para a manutenção do local, mas imagina-se que seja questão de ajuste, acerto de contas, justificativas e busca de recursos em órgãos ligados à aviação, pois afinal aqui formamos profissionais para voos civis e militares e isso precisa ser levado em conta.

(*) Com foto de Alexandre Cruz Nicolas, por Renato Senis Cardoso, que é jornalista, publicitário e bacharel em direito.

botao-voltar

One Comment

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.