Obra da vicinal da Marechal Rondon é retomada

Uma obra de grande porte está sendo realizada em Bauru e paga de forma indireta pelo governo do Estado, muito embora, a princípio, seu custo seja bancado pela ViaRondon, que é concessionária da rodovia.

A vicinal, que correrá em paralelo com a Rodovia Marechal Rondon, do Trevo da Eny até o trevo que leva a Arealva (de um lado) e a Marília (de outro), chega em boa hora.

Há pouco mais de um ano (março de 2.016), a empresa Concessionária ViaRondon fez uma apresentação com explicações técnicas sobre locais de acesso, espaços a serem desapropriados e prazos para cada uma das quatro etapas, sendo a primeira delas, no trevo onde a Rondon cruza com a rodovia que liga a Jaú-Ipaussú, até a rotatória que liga a Marília, que está na etapa quatro, com um prazo estimado de quatro anos para a obra.

O projeto, em especial, tenta tirar o gargalo da Rondon na altura da Avenida Nuno de Assis, já que o trecho inicial não deve ter muitos problemas, pois boa parte das obras são adaptações aos trechos já construídos ao longo da rodovia para permitir o acesso à rodovia ou à cidade de Bauru.

A etapa dois apresenta um grande número de modificações na rede viária, pois interferem diretamente na vida do bauruense que mora no final da Avenida Duque de Caxias, aos milhares de estudantes que estudam na USC e aos trabalhadores das empresas que estão ao largo da Rondon, até perto da Avenida Cruzeiro do Sul, que não deverá conter um viaduto para a sobreposição com a rodovia.

Haverá um número significativo de novos acessos para permitir passagem, tanto do lado direito, como do lado esquerdo da nova rodovia, que não terá mão dupla em cada lado.

Porém, tal obra estava parada em razão de não constar do processo um documento da prefeitura dando áreas municipais para que a obra fosse realizada conforme concepção original. Até ontem (07 de junho) não se tinha conhecimento de tal documento, que do nada, foi apresentado ontem pela Artesp ao MP.

A apresentação de tal documento, até então desconhecido de todos os envolvidos (incluindo o Ministério Público), deve destravar o andamento da obra e, finalmente, a construção das marginais no trecho urbano da rodovia Marechal Rondon ter continuidade. Refere-se de um memorial descritivo assinado pelo ex-prefeito Rodrigo Agostinho, que autorizou, ainda durante sua gestão, o uso de 16 mil metros quadrados de áreas de domínio municipal em ambos os sentidos da rodovia para a construção das marginais.

O assunto, relativo à sobreposição das novas pistas em trechos de vias municipais, vinha sendo alvo de impasse entre a atual administração, o MP, a concessionária ViaRondon e a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

O imbróglio, até então parecia não ter solução, mas segundo o promotor de Urbanismo, Henrique Varonez, representantes das secretarias municipais de Obras e Planejamento informaram que com este documento, tudo está resolvido e a obra com continuidade.

As empresas que se sentiram lesadas poderão, por meios próprios e se assim desejarem, questionar judicialmente o Estado, o município ou a própria ViaRondon sobre as mudanças que a construção das marginais irá provocar.

Mais pelo Vivendo Bauru.