7 motivos para torcer pelo Mercado Municipal de Bauru

Tomemos por exemplo o Mercadão de São Paulo, e não é à toa que o Mercado Municipal de São Paulo (este seu nome verdadeiro) encanta moradores e turistas. Motivos não faltam para visitar este ponto gastronômico da cidade. Cores, aromas, delícias e história são alguns deles. E tem show de chorinho aos domingos, com tudo grátis. Visitar o local é um dos passeios mais baratos dos muitos oferecidos pela capital paulista.

Crédito: José Cordeiro/SPTuris
Mas o que tem o tão famoso Mercadão de São Paulo com Bauru, além de sabidamente muitos da terrinha não deixarem de passar horas no local em quase todas suas permanências na capital. Realmente é muito prazeroso, pois há de tudo no local, de comidas diferenciadas a bancas de alimentos de todos os tipos, maioria não encontrados em outros locais.

Tomando por exemplo tal ponto turístico com foco na guloseima, começamos a torcer ainda mais para que a proposta que parte da prefeitura de termos nosso mercadão vingue e há razões para isso, dentre as quais sete que elencaremos a seguir:

1- Há proposta para a adequação de um dos barracões desocupados da antiga estrutura da estação ferroviária prontinha para receber o mercadão.

2- O Mercadão Municipal de Bauru será a atração máxima do local que até agora não tem uma solução, ou pelo menos proposta para destino adequado à estrutura que por anos serviu para embarque e desembarque de passageiros de trem, além de tudo que precisava para ajudar na logística e manobras, visando atender o bom funcionamento do modal.

3- Há interessados da iniciativa privada na construção de nosso mercadão, já em entendimento com a prefeitura e é possível que o custo para sua instalação não seja maior que zero, o que aumenta a vontade de ver o equipamento funcionando para breve.

4- Com o nosso mercadão, o movimento na área central irá aumentar consideravelmente e é tudo que precisamos para revitalizar a área, que na verdade surgiu a partir da implantação das ferrovias na cidade e construção de nossa estação ferroviária.

5- O mercadão pode ser o primeiro equipamento, abrindo caminho para que outros ocupem os demais locais, aumentando ainda mais a movimentação do local, com reflexo em nosso comércio central e ocupação da região em período noturno, quando lá é pleno deserto.

6- Com outros barracões sendo ocupados por museus, área para eventos, local para ensaio de nossas turmas de balé, teatro e de música, temos tudo para analisar melhor o destino da gare central, que hoje tem ocupação, porém não dentro de um planejamento adequado e com coerência imaginando todo o espaço.

7- Há um sonho que se relaciona à volta da Maria Fumaça, que bem poderia servir como meio de transporte, levando e trazendo passageiros das regiões leste e oeste da cidade, precisando para tal apenas um planejamento e definição de locais que serviriam como estações. Já que não temos o V.L.T., que façamos uso do que já temos para o transporte por trem, o que irá desafogar as ruas centrais com reflexo na movimentação da região e melhor aproveitamento da estrutura para incentivar os comerciantes do Calçadão da Batista, Rua 1º de Agosto e ruas transversais.

Poderia enumerar outros motivos e precisaria apenas usar a imaginação, porque o espaço é da prefeitura e urge a necessidade de ocupação com critério, sendo que o mercadão poderá ser o primeiro passo, levando em conta o interesse de pessoas físicas e empresas que enxergam o que não se viu até agora e que ainda é motivo de resistência.

Não sei porque mas me imagino comendo um pastel no local e vendo uma apresentação de um artista prata da casa num local que poderá ser um dos maiores atrativos turísticos de Bauru.

Querer é poder!

(*) Renato Cardoso, o autor, é jornalista, publicitário e bacharel em direito.

Mais pelo Vivendo Bauru.